Revisão de TCC

Dicas para elaboração de TCC

a) não basta escolher bem o tema, é preciso que ele seja bem circunscrito. Quanto mais restrito seja o tema, melhor para o desenvolvimento do trabalho. Trabalhos com temas muito genéricos, muito latos, dificultam a elaboração do TCC. E a razão é porque ocorrerá perda de foco;

b) comumente, não se usa o termo capítulo em trabalhos acadêmicos, usa-se seção. As seções podem ser primárias, secundárias, terciárias, quaternárias ou quinarias. Exemplo: 1 / 1.1 / 1.1.1 / 1.1.1.1 / 1.1.1.1.1 | 2 / 2.1 / 2.1.1 / 2.1.1.1 / 2.1.1.1.1;

c) exemplos de seções e sua respectiva formatação:

3) METODOLOGIA EMPREGADA (negrito e caixa-alta)

3.1 TIPO DE METODOLOGIA (normal e caixa-alta)

3.1.1 Qualitativa (negrito e caixa-baixa)

3.1.1.1 Método descritivo (itálico e caixa-baixa)

3.1.1.1.1 Abordagem (normal e caixa-baixa)

d) nas seções primárias nunca vai ponto; nas seções, de modo geral, nunca vai hífen; exemplos:

1 INTRODUÇÃO / 1.1 EXPOSIÇÃO DO PROBLEMA / 1.2 JUSTIFICATIVA;

e) como dividir o seu trabalho em partes? A grosso modo, pois depende muito do tipo de trabalho e das exigências da sua instituição de ensino superior, divide-se da seguinte forma:

  • INTRODUÇÃO
  • FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
  • FUNDAMENTAÇÃO METODOLÓGICA
  • ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS DADOS
  • CONSIDERAÇÕES FINAIS OU CONCLUSÃO
  • REFERÊNCIAS

f) em trabalhos acadêmicos não se usa a primeira pessoa do singular ou plural. A maioria das Instituições de Ensino Superior não aceita essas formas. Deve se usar a forma impessoal. Ou seja, em vez de “Acreditamos que esse método de ensino possa substituir…”, usa-se “Acredita-se que esse método de ensino possa substituir…”. Em vez de “Faremos uma análise a respeito…”, deve-se usar: “Far-se-á uma análise a respeito”;

g) escolha bem a metodologia a ser aplicada no desenvolvimento do trabalho. Muitos, para simplificar, atalhar o caminho, preferem recorrer à revisão de literatura, porém esse método oferece menos subsídios para a seção de análise. Usando uma metodologia que se utiliza de pesquisa de campo, haverá muito mais dados para análise, podendo ilustrar toda essa seção com gráficos, tabelas, quadros, etc.;

h) atenção com as alíneas, pois devem começar sempre com letra minúscula e se encerrar com ponto-e-vírgula, com exceção do último parágrafo, que deve se encerrar com ponto final. As dicas aqui elencadas estão em forma de alínea, então já servem de exemplo;

i) antes da elaboração do TCC, faça um bom projeto de pesquisa. O projeto de pesquisa é essencial para estabelecer o caminho que será percorrido para a elaboração do trabalho, inclusive para a decisão do método mais apropriado para tornar o TCC uma realidade. Ele ajuda a delinear o futuro TCC. Algumas instituições de ensino superior exigem um projeto de pesquisa, outras apenas recomendam, e há aquelas que só mencionam… Mas não é uma opção sábia negligenciar o projeto de pesquisa. O ideal mesmo é prepará-lo com esmero. Isso, sem dúvida, irá garantir que o acadêmico tenha uma visão antecipada do seu trabalho, ajudando-o no desenvolvimento das seções, dando-lhe uma visão de conjunto e permitindo-lhe maior foco na elaboração;

j) após a conclusão do TCC, quando estiver com a mente descansada, faça uma leitura cuidadosa do trabalho, pois sem dúvida irá encontrar problemas, como erros de grafia, concordância e frases mal concebidas ou sem nexo;

k) recomendável submeter o texto a um bom profissional da área de revisão e normalização ABNT; isso garantirá que o trabalho ganhe qualidade em matéria de redação e formatação acadêmicas;

l) importante: cuidado com o plágio! Muitos acadêmicos, por simplificação, irão copiar e colar conteúdos de outros trabalhos publicados na Internet, criando um TCC que mais se assemelha a uma colcha de retalhos. Além de ilegal, é frequentemente fator de reprovação. O TCC é a obra prima do acadêmico; assim como um artista, depois do processo de aprendizado, confecciona uma pintura, escultura, desenho, etc., assim também um acadêmico redige o seu Trabalho de Conclusão de Curso;

m) uma coisa é copiar e colar textos de terceiros e usá-los como citação direta. Ou seja, citando o autor da fonte, ano da obra utilizada e o número da página. Outra coisa é Ctrl + C e Ctrl + V de forma indiscriminada, misturando o texto de uma fonte externa ao corpo do texto do acadêmico; de forma que não se possa distinguir o que é de um do que é do outro.

Autor: Marcos Antonio Fiorito

Copyright © Marcos Antonio Fiorito todos os direitos reservados. Proibida a reprodução integral ou parcial sem autorização expressa do autor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: